Inspiração

Chego a esta altura do ano e por vezes falha-me a inspiração. Hoje encontrei uma fotógrafa querida e trocamos algumas impressões sobre fotografia e sobre o nosso trabalho. Na verdade o nosso trabalho é um pouco solitário e isolado de outros fotógrafos: é raro trocarmos impressões e sabermos como correm as coisas com os outros, em que projectos estamos inseridos.
Por isso, quando nos cruzamos com alguém e tudo volta a fazer sentido, sabe muito bem e percebemos que estamos no caminho certo.

Para me inspirar, muitas vezes para mim o ideal nem é ver fotografias. Resulta mais sair de Lisboa, pegar no carro e ir até ao campo ou até a praia... Por vezes, também me serve de inspiração ver livros infantis, falar com pessoas de áreas completamente diferentes. Neste momento, correr de manhã com o meu pai ou ir às aulas de dança também têm ajudado muito.

Mas desta vez fui até a Caravana Bazaar, num dia de semana normal, em que voltei a achar que não tinha fotografado nada. E hoje, por coincidência ou não, dei de caras com estas fotografias de que já nem me lembrava...







2 comentários:

  1. Só não contamos a ninguém onde nos encontramos.
    Realmente a inspiração surge quando menos esperamos e e foi isso que aconteceu. Encontramos as respostas que precisamos e tudo começa a fazer de novo sentido e aquele orgulho por um percurso similiar voltar a brilhar. São já muitos os anos, quase os mesmos, que nos enchem de orgulho, sabendo que o começo foi nosso, solitário, empreendedor, original. Essa força criativa faz-nos estar onde estamos. Ontem estivemos no mesmo lugar à mesma hora. Por uma razão. Ou razões.
    Para a próxima seremos duas + duas.

    ResponderEliminar
  2. Olá Mariana...
    Hoje chego ao trabalho depois de ter saído do mesmo à poucas horas, chego a casa quando tudo já esta a dormir e mais um dia que não consigo ver a minha filha acordada. Assim que chego aqui e volto a ligar o computador, vou vêr o teu blog que nem mesmo isso ontem tinha conseguido, e tu falas-me de inspiração o que vinha eu a debater comigo no percurso de tantos transportes até aqui. Todos os dias a procuro, todos os dias penso que me vou soltar deste trabalho "criativo" que me prende horas a fio a uma cadeira, na qual sentada obdeço às ideias criativas de clientes, que não concordo que não são minhas etc, a fazer negòcio... Pergunto-me porque fiquei presa a isto, ou será que o posso inverter. Sei que um dia vou poder comandar a minha inspiração, mas enquanto isso vou me inspirando em ti, reveijo-me em ti muitas vezes e hoje conseguis-te sem saberes ajudar alguem. Deste-me uma lofada de ar fresco com uma leve brisa de frescura, deste-me esperança que um dia também eu vou buscar a minha inspiração nas coisas simples que me rodeiam e fazem de mim quem eu sou. Tenho tantos projectos tantas ideias tantas coisas que queria partilhar com o mundo que tenho medo que passem da válide. obrigada Mariana e continua a inspirar, desculpa este desabafo mas apeteceu-me partilhá-lo.
    Magda (de um workshop)

    ResponderEliminar

AddThis